Cidade

Assistência Social capacita serviços da rede de atendimento às crianças e adolescentes

Encontro tratou sobre as atualizações legislativas acerca da violência contra as crianças e adolescentes

Na manhã desta quarta-feira (24), a Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), realizou uma capacitação para os profissionais que atuam nos serviços de convivência e de fortalecimento de vínculos, e nos programas de aprendizagem profissional parceiros do Município. A formação foi ministrada pela assistente social da SMAS, Adriana Aparecida Santos, no auditório da Prefeitura de Londrina, que fica na Av. Duque de Caxias, 635, no Centro Cívico.

Ao todo, técnicos de 17 instituições, sendo 15 delas prestadoras de serviços de convivência e fortalecimento de vínculos e duas que ofertam programas de aprendizagem estiveram presentes. Entre elas, participaram os representantes da Casa Acolhedora, Escola Profissional e Social do Menor de Londrina (Epesmel), Guarda Mirim, Instituto União para Vitória e Meprovi Pequeninos. Essas 17 instituições estão espalhadas em 29 unidades de serviços descentralizados, atendendo cerca de 3.500 crianças e adolescentes e outros 900 adolescentes nos programas de aprendizagem.

Segundo a gerente da Criança e Adolescente da SMAS, Adriana da Cruz Barroso, o trabalho desenvolvido pelas parceiras caminha junto com os serviços prestados pela Assistência Social, em que a pasta serve como uma referência para os profissionais que buscam qualificação profissional, supervisão e um espaço para debates e tirada de dúvidas. “Essa capacitação faz parte da formação continuada que a Secretaria de Assistência Social fornece para a rede parceira, onde temos reuniões mensais e uma comissão que se debruça nas capacitações. Com isso, temos a qualificação do atendimento, um alinhamento das ações dentro da política de assistência social e um atendimento que atende de fato as demandas das crianças e dos adolescentes de Londrina”, disse a gerente da Criança e Adolescente da SMAS, Adriana da Cruz Barroso.

Foto: Vivian Honorato

O tema do encontro de hoje foi “Violência contra crianças e adolescentes” e as atualizações legislativas acerca do tema, como referentes ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e da Lei Federal nº 13.010/14, que estabelece o direito da criança e do adolescente de serem educados e cuidados sem o uso de castigos físicos ou de tratamento cruel ou degradante.

A proposta foi capacitar e formar as equipes técnicas, para que cada vez mais elas saibam identificar os menores de 18 anos que são vítimas de violência. Assim, a expectativa é que esses profissionais se apropriem dos fluxos de atendimento e de notificação em casos de violência e que consigam atuar na prevenção de novos casos de violência contra as pessoas com menos de 18 anos e suas famílias. “Essa capacitação é muito importante, porque, agora, no pós-pandemia, muitas crianças que estavam em vulnerabilidade ficaram em situações piores. Por isso, os técnicos e os educadores precisam ficar atentos para observar os sinais e perceber se a criança ou o adolescente está sofrendo violência e saber como agir, fazer a escuta ativa e os encaminhamentos corretos. Por isso, estamos reforçando esses passos na assistência social e com essa capacitação, porque queremos as nossas crianças estejam protegidas e tenham um desenvolvimento saudável”, disse a secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Marçal Micali.

Para as representantes da Guarda Mirim de Londrina, Andrea Colombo e Vanessa Farias, as capacitações são de suma importância para os prestadores de serviço, pois visam o fortalecimento da rede como um todo e dos técnicos que estão atuando diretamente nas questões do enfrentamento à violência contra as criança e os adolescentes. “O conhecimento adquirido nas capacitações ajuda muito, primeiro porque estamos voltando de um cenário pós-pandemia, onde tudo estava suspenso e ficamos um tempo fazendo as notificações e as discussões de forma on-line. Então, é muito bom podermos revisitar o marco regulatório, para fortalecermos a rede protetiva dentro do nosso território. Sentimos muita abertura por parte da Secretaria de Assistência Social e uma parceria grande, o que fortalece nosso trabalho na ponta, porque a SMAS faz o acompanhamento sistematizado mensal e dá espaço, na Gerência da Criança e do Adolescente, para levarmos as situações, quando não encontramos uma solução imediata”, explicou Farias.

 

Etiquetas
Mostrar mais

Ana Paula Hedler

Gestora de Comunicação, formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, especialista em Comunicação com o Mercado pela Universidade Estadual de Londrina e Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos