Destaques

Monumentos de Londrina recebem iluminação especial para campanhas de conscientização

Neste mês de fevereiro, os principais pontos de visitação da cidade divulgam o diagnóstico precoce de leucemia, Alzheimer, lúpus e fibromialgia; trabalho é executado pela Londrina Iluminação

Ao longo do mês de fevereiro, vários monumentos e pontos de visitação de Londrina estão iluminados nas cores laranja e roxo. Isso porque a Prefeitura, por meio da Londrina Iluminação, participa das campanhas “Fevereiro Laranja”, de conscientização sobre a leucemia, e “Fevereiro Roxo”, que aborda as doenças Alzheimer, lúpus e fibromialgia.

Praça da Garça, Concha Acústica, Cascata do Igapó, Biblioteca Municipal e Monumento Bíblico. Foto: LI

Para marcar o “Fevereiro Laranja”, a Londrina Iluminação selecionou o monumento “O Passageiro”, “Monumento Bíblico”, a cascata do Lago Igapó, Praça da Garça, Concha Acústica e a fachada da Biblioteca Municipal, no centro da cidade. A proposta é chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce para um tratamento mais eficaz contra a leucemia.

No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se que 10 mil novos casos de leucemia sejam diagnosticados por ano. As ações educativas, como a campanha Fevereiro Laranja, são importantes para que a população tenha consciência dos sinais e sintomas porque, com o diagnóstico precoce, o câncer é identificado em fase inicial e as chances de cura aumentam.

No caso da campanha de conscientização sobre o lúpus, Alzheimer e a fibromialgia, a Londrina Iluminação colocou luzes roxas no Viaduto Edson de Jesus Deliberador (viaduto da Dez de Dezembro) e na Barragem do Lago Igapó. Essa campanha também foi criada com o objetivo de alertar a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce. Essas doenças são crônicas e ainda não tem cura, mas podem ser tratadas de maneira mais efetiva quando descobertas no estágio inicial.

Leucemia – A leucemia é uma doença que afeta os glóbulos brancos e se caracteriza pelo acúmulo de células doentes na medula óssea, que é fundamental para o corpo humano.

Alguns sintomas podem acender o alerta para uma investigação, como palidez, cansaço, febre, aumento de gânglios (ínguas), infecções persistentes ou recorrentes, hematomas, petéquias (pequenas manchas vermelhas ou marrons), sangramentos inexplicáveis, aumento do baço e do fígado. Na suspeita de leucemia, o paciente deverá fazer o exame de sangue e ser encaminhado para o hematologista.

Lúpus – É uma doença inflamatória crônica e autoimune, que pode afetar diferentes órgãos. Com o tratamento é possível controlar a doença e garantir uma boa qualidade de vida.  Apesar de mais comum entre mulheres, o lúpus pode afetar pessoas de ambos os sexos. Em geral, a doença causa lesões e inflamações na pele e órgãos internos.

Os sintomas mais frequentes e característicos são as manchas avermelhadas em maçãs do rosto e dorso do nariz, dor e inchaço, dores e inflamação nas articulações das mãos, inflamação nos rins, e alterações nas células do sangue causadas pelos anticorpos. Para investigação, o paciente pode procurar um médico reumatologista.

Viaduto Edson de Jesus Deliberador e Barragem do Lago Igapó. Foto: LI

Alzheimer – A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência neurodegenerativa em idosos. Sua evolução é gradativa e provoca restrições cognitivas, perda de memória, irritabilidade, agressividade, passividade, entre outros sintomas. No Brasil, os  centros de referência do Sistema Único de Saúde (SUS) oferecem tratamento multidisciplinar integral e gratuito para pacientes com Alzheimer, além de medicamentos que ajudam a retardar a evolução dos sintomas.

Os cuidados dedicados às pessoas com Alzheimer devem ocorrer em tempo integral. Cuidadores, enfermeiras, outros profissionais e familiares, mesmo fora do ambiente dos centros de referência, hospitais e clínicas, podem encarregar-se de detalhes relativos à alimentação, ambiente e outros aspectos que podem elevar a qualidade de vida dos pacientes.

Fibromialgia – A fibromialgia é uma doença reumatológica que manifesta-se com dores musculares generalizadas crônicas (que duram mais de três meses), alterações no sono, no humor e disposição do paciente.

Assim como lúpus, a doença é mais frequente entre mulheres, mas pode ser identificada em homens e mulheres de todas as idades. As dores provocadas pela fibromialgia não provocam inflamações nem deformidades, mas podem ser incapacitantes e estarem relacionadas a outros quadros reumatológicos. O diagnóstico é feito por descarte de outras condições, e o tratamento é multidisciplinar.

Etiquetas
Mostrar mais

Marcelino Jr

Jornalista, consultor, editor literário e especialista em "Comunicação Organizacional: Gestão Estratégica" pela Universidade Estadual de Londrina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos