Cidadão

Poemas de alunas da rede municipal avançam na 6ª Olimpíada da Língua Portuguesa

Dentre as 19 escolas municipais inscritas, as duas produções agora concorrem na etapa estadual da Olimpíada “Escrevendo o Futuro”

Foi divulgada nesta semana a relação de textos selecionados para a fase estadual da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Na primeira etapa da sexta edição do evento, se inscreveram 19 escolas municipais e outras 20 estaduais de Londrina, envolvendo 67 professores da rede pública. Uma comissão local foi responsável por avaliar os 115 trabalhos produzidos no município, entre artigos de opinião, crônicas, documentários, memórias literárias e poemas, e os pré-selecionados agora concorrem na etapa estadual.

Com o tema “O lugar onde vivo”, as atividades promovidas para o concurso buscam propiciar aos alunos o reforço dos vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade local, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania. A Olimpíada de Língua Portuguesa é uma realização do Ministério da Educação (MEC) em parceria com a Fundação Itaú Social, e com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC).

Na Olimpíada de Língua Portuguesa, são estabelecidos diferentes tipos de produção para cada nível escolar. Alunos do 5º ano fizeram escrita de poemas; os de 6º e 7º anos, memórias literárias; crônica foi o gênero literário atribuído aos alunos do 8º e 9º anos, documentário para alunos do 1º e 2º anos do Ensino Médio, e alunos do 3º ano do Ensino Médio produziram artigo de opinião.

Dentre os concorrentes na categoria poemas, foram escolhidas duas produções que agora avançam para a disputa com textos de todo o Paraná. Os poemas finalistas foram “O lugar onde vivo”, produzido pela aluna Andressa Silva Pinheiro, da Escola Municipal Doutor Cláudio Almeida e Silva, e “Minha Querida Londrina”, de autoria da aluna Maria Clara Terra Amarins, da Escola Municipal Maestro Andrea Nuzzi.

A comissão julgadora municipal, responsável por avaliar as produções nesta primeira fase, é composta pelas professoras da Secretaria Municipal de Educação (SME) Jozélia Jane Corrente Tanaca, Franciele de Souza Medeiros, Rafaeli Constantino Peres, juntamente com a professora Leslie Felismino Barbosa, da Secretaria Estadual da Educação (SEED).

Jozélia, que é apoio pedagógico de Língua Portuguesa e Inglesa na SME, explicou que a Olimpíada de Língua Portuguesa ocorre de dois em dois anos, e promove atividades formativas para alunos e docentes. “Mais do que a elaboração das redações, esse programa oferta aos professores a oportunidade de trabalhar com os alunos a metodologia pedagógica de sequências didáticas para gêneros textuais. É um processo baseado em fases de ensino, para a criança dominar a linguagem dos variados tipos de textos”, citou.

Para a integrante do apoio pedagógico da SME, participar da Olimpíada permite que os alunos desenvolvam a escrita específica para os gêneros textuais escolhidos. “Essa participação é algo que o Município incentiva porque estimula o aluno a desenvolver sua criatividade, ampliar o repertório linguístico, o vocabulário, além de melhorar o nível de letramento dos nossos estudantes. É uma proposta muito rica, que integra leitura e escrita, mas que vai além da produção, pois extrapola os muros da escola e faz com que o aluno traga seu repertório de conhecimento da língua portuguesa junto com o conteúdo sobre Londrina. É um modo de ensinar o português de forma interdisciplinar, integrando com a história, geografia, e outras disciplinas”, ressaltou.

Produção local – Além dos poemas das alunas da rede municipal, a CJM também selecionou outras produções de escolas de Londrina. Na categoria memórias literárias, foi escolhido o texto “A Chegada”, de Maria Eduarda Lopes Cavalcanti, do Colégio Estadual Tsuru Oguido. Na categoria crônica, o texto “Um Pequeno Ônibus, grandes histórias” da aluna Emanuelle Baldrez Ribeiro, do Colégio de Aplicação. O documentário “Cantinho Especial”, das alunas Ana Luiza de Almeida e Luana Domingues, do Colégio Nilo Peçanha, foi o escolhido. E o texto “Das Marcas na Pele ao sangue que escorre”, de autoria da aluna Lara dos Santos Pianissoli, foi selecionado na categoria Artigo de Opinião.

Ao todo, Londrina concorre com seis produções na fase estadual, que vai de 26 de setembro a 11 de outubro. A premiação para os finalistas e semifinalistas inclui viagem cultural, medalhas, acervos para biblioteca escolar, placas de homenagem e notebook. “A qualidade do material londrinense está muito boa, com textos bem escritos, e conseguimos obter uma alta avaliação. Nossa expectativa é bem otimista para seguirmos avançando”, comentou Jozélia.

Para a imprensa: outras informações podem ser obtidas com a integrante do apoio pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Jozélia Jane Corrente Tanaca, pelo telefone 3375-0276.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos