Cidadão

Projeto londrinense fica entre os finalistas em  prêmio de sustentabilidade

O trabalho foi desenvolvido pela professora  Márcia Rejaine Piotto, da Escola Municipal Professora Maria Irene Vicentini Theodoro

A Escola Municipal Professora Maria Irene Vicentini Theodoro, apresentou um projeto que ficou entre os cinco finalistas na  4º edição do Prêmio Sesi ODS, que ocorreu no dia 5 de setembro em Curitiba. O projeto “LONDRINA & TERRAS INDÍGENAS: semeando saberes e partilhando sementes”, idealizado pela professora Márcia Rejaine Piotto, foi o escolhido pela unidade escolar.

A ação desenvolvida pela professora teve início em 2015 e vem proporcionando conhecimento aos alunos. Por meio de pesquisas e relatos  dos moradores da região da nascente do Carambeí, que fica nos arredores da escola, os alunos e a professora perceberam que havia lixo no local, poluição e falta de vegetação nativa. A partir disso, os alunos realizaram o plantio de árvores nativas e frutíferas na região, fizeram uma limpeza no local,  com a ajuda da comunidade.

Outra iniciativa ocorreu nas terras indígenas do Apucaraninha. Os alunos do 4º ano realizaram um seminário sobre os benefícios da reciclagem, e doaram 120 mudas de árvores nativas e frutíferas para a Escola Estadual João K Vergílio, que vão formar um pomar.

Para a diretora da escola, Deise Macedo Reis Cavalcante, a oportunidade de participar de tal evento já valeu a pena. “ O fato de nós virmos trabalhando nesta iniciativa há um bom tempo, e poder, participar e ficar entre as finalistas do Estado já é gratificante. Os esforços de todos os envolvidos foram recompensados”, ressaltou.

O trabalho conta com com parceria da Secretaria Municipal da Saúde,Secretaria Municipal do Ambiente, Companhia Municipal de Trânsito e  Urbanização (CMTU), Igreja Santa Rita e ONG E-LETRO.

O prêmio Sesi ODS busca reconhecer e divulgar práticas de organizações  dos setores público e privado para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Neste ano contou com 364 projetos inscritos, englobou cinco categorias: Indústria; Comércio e Prestação de Serviços; Instituição de Ensino; Organização da Sociedade Civil e Poder Público. Todos os participantes ganharam um selo de sustentabilidade.

Além de participar do prêmio em Curitiba, este projeto já foi premiado em outras ocasiões. Recebeu o prêmio de 2º lugar no Matsuri – 2017, Melhores Práticas; 3º lugar Matsuri – 2018 Melhores Práticas;  IAP – 2017 Instituto Ambiental do Paraná, vencedor do concurso “Redescobrindo práticas Sustentáveis”; 3º lugar COPATI – 2017 – Consórcio Para Proteção Ambiental do Rio Tibagi; e 3º lugar COPATI – 2018.

Para a imprensa: outras informações podem ser obtidas com a direto da Escola Municipal Professora Maria Irene Vicentini Theodoro, Deise Macedo Reis Cavalcante, pelo telefone: 3375-0166.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos