Cidadão

Londrix oferece palestra com a escritora Cristiane Sobral nesta quarta (11)

“Poética, Potência e Denúncia” é o nome da atividade que uma das mais importantes escritoras do brasil fará nesta quarta (11), às 20h, no Museu Histórico de Londrina; a entrada é franca

A escritora e atriz carioca Cristiane Sobral realiza, nesta quarta-feira (11), às 20h, no Museu Histórico de Londrina (Rua Benjamin Constant, 900), a palestra “Poética: Potência e Denúncia”. Promovida dentro da programação do 17º Festival Literário de Londrina (Londrix), a atividade tem entrada franca e será mediada por Amanda Crispim.

Com dez livros publicados, Sobral, que é radicada em Brasília, vai enfocar a literatura praticada por autores pretos e pardos, em um debate que promete instigar os participantes.  “Vou invocar, sobretudo, a literatura negra brasileira. Gostaria de saber, por exemplo, a quantidade [de livros] de autores negros que está nas respectivas estantes. É pouquíssimo. Espero que as pessoas reconheçam essa ausência e busquem adquirir essa literatura”, afirmou.

Para a escritora, são raras as narrativas da literatura brasileira em que as personagens negras apresentam subjetividades maiores. Normalmente, de acordo com a autora, os temas estão atrelados aos estereótipos, principalmente à escravidão e à marginalidade.

A escritora e atriz Cristiane Sobral. Foto: Divulgação

“No campo da ficção, nós, escritores, temos outras possibilidades de narrativa, que precisam cada vez mais de representação literária. Precisamos apresentar mais a nossa narrativa e, sobretudo, informar que a cultura negra é um patrimônio cultural brasileiro, além do carnaval e do esporte”, salientou.

Após o debate, Sobral fará o lançamento dos livros “Amar Antes que Amanheça” e “Não Vou Mais Lavar Pratos”, ambos de sua autoria.

Lirismo em tempos de ditadura

“Amor em Tempos de Ódio – Uma Leitura Lírica dos Tempos da Ditadura” é o tema da palestra que o escritor londrinense Eduardo Baccarin Costa irá ministrar nesta quarta-feira (11), às 19h, também como parte da programação do Londrix. A atividade tem entrada franca, e será realizada no Museu Histórico de Londrina.

Serão abordadas obras de autores brasileiros como Thiago de Mello, Chico Buarque e Vinicius de Moraes. A palestra também incluirá análises de obras do chileno Pablo Neruda e do português Antônio Lobo Antunes.

O autor londrinense Eduardo Baccarin Costa. Foto: Divulgação

O lirismo a que se refere a atividade está intrinsicamente atrelado a uma forma de resistência num período cruel. “O lirismo serviu como uma espécie de militância contra a violência brutal de uma ditadura, que mata, tortura e cerceia palavras”, diz Baccarin Costa.

De acordo com o material de divulgação, “Brasil e Portugal viveram ditaduras sanguinárias e bélicas no século XX. O longo período monocrático de Salazar (1926-1974) e as Ditaduras Civis (1930-1945) e Militar (1964-1985) silenciaram não só opositores, mas toda forma de expressão artística, cultural, científica. A palavra foi sequestrada. A criatividade e resistência, não. Para isso metaforizar foi a forma com que muitos autores driblaram para se manifestar politicamente. E a poesia lírica foi um caminho”.

Na sequência, haverá o pré-lançamento do livro “O Homem do Tempo”, escrito por Eduardo Baccarin Costa.

Breves biografias

Cristiane Sobral é carioca e vive em Brasília. Multiartista, é escritora, atriz e professora de teatro. Bacharel e Licenciada em Interpretação e Mestre em Artes (UnB). Tem 10 obras publicadas, sendo o mais recente o livro de contos “Amar antes que amanheça”. Dirigiu o grupo de teatro Cabeça Feita por 17 anos.

Publicou em diversas antologias nacionais e internacionais. Já palestrou e ministrou oficinas em Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, África do Sul, Colômbia e Equador. Em 2019, palestrou sobre literatura negra em nove universidades estadunidenses, inclusive Harvard. Nesse mesmo ano, foi jurada do Prêmio Jabuti, na categoria de contos.

Seu espetáculo mais recente é “Esperando Zumbi”, que fez temporada no Brasil e em Moçambique, em 2019. Em 2022, participou como dramaturga formadora do Ciclo de Dramaturgia CPT-SESC – SP.

Eduardo Baccarin Costa é professor, poeta, escritor e produtor cultural. Doutorando em Letras pela Universidade Estadual de Londrina, estuda a literatura produzida durante as ditaduras de Brasil e Portugal no século vinte. Tem nove livros publicados (quatro romances e cinco coletâneas de poesia) e quatorze livros no prelo (doze romances, uma coletânea de contos e um de poemas), além de quatro peças teatrais inéditas.

Venceu por quatro anos consecutivos o Concurso da Editora Leia Livros na categoria “Prosa”, com os romances “O Solitário do 406” (2018), “ Um Som Diferente” (2019), “Liberdade Condicional” (2020) e “O Homem do Tempo” (2021). Classificou-se em primeiro lugar no Concurso Outras Palavras, da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná, na categoria Romance, com o livro “Apenas Três Palavras” (2020). Ficou em segundo lugar no Prêmio Literário Uirapuru 2021, na categoria dramaturgia, com a transposição do texto do romance “Liberdade Condicional”, para o teatro.

Ocupa a cadeira 39 da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina.  Ministra cursos de oratória e escrita criativa.

O Festival Literário de Londrina/LONDRIX tem patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC).

A realização é da Atrito Arte Artistas e Produtores Associados (AARPA). O evento conta com parceria da Universidade Estadual de Londrina, via Museu Histórico de Londrina e Atrito Arte Editora. Apoio Cultural: Cultura Inglesa de Londrina.

Texto: Assessoria de Imprensa do LONDRIX, Antônio Mariano Júnior – Celular/WhatsApp: (43) 99987-0698.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos