Cidade

Programa Londrina Mais forma primeiro comitê de gestão na região sul

comite.londrina.mais.DP

Professores e moradores do Jardim São Lourenço estão no grupo que atuará junto à Prefeitura no desenvolvimento de ações diversas

O Programa Londrina Mais oficializou, na última sexta-feira (23), a criação do primeiro Comitê de Gestão da Cidade integrante do trabalho, que prevê ações compartilhadas com a participação popular em 300 áreas denominadas de subgerências administrativas espalhadas por todas as regiões. O comitê inaugural foi formado no Jardim São Lourenço, na região sul, após reunião com moradores do bairro, representantes da Prefeitura, professores, alunos e colaboradores do Colégio Estadual Professora Vani Ruiz Viessi, onde ocorreu o encontro.

O grupo atuará dentro do programa na subgerência que ficou chamada Vani Ruiz, na região do Córrego Cristal, sendo o primeiro Comitê de Gestão das 16 áreas previstas no projeto-piloto do Município, que é conduzido em parceria com a Organização da Sociedade Civil (OSC) Patrulha das Águas Sustentabilidade. O Londrina Mais quer implantar a divisão de Londrina em quatro macrogerências, 40 gerências e 300 subgerências, dos 84 córregos urbanos de Londrina e na microbacia do Córrego Marrecas que envolve os distritos de Maravilha, Irerê e Paiquerê.

O programa visa uma transformação socioambiental, gerencial e educacional. O foco é viabilizar atividades na área urbana e rural de Londrina, contemplando locais com diferentes perfis socioeconômicos e ambientais. A ideia é implantar estratégias para a construção de um modelo de gestão descentralizada e compartilhada.

De acordo com o ambientalista João das Águas, responsável pelas ações do Patrulha das Águas e articulador do programa Londrina Mais, o Comitê de Gestão do Jardim São Lourenço já conta com 26 membros, incluindo representantes do Colégio Vani Ruiz, da Escola Municipal Eugenio Brugin, da entidade Patrulha das Águas, da Prefeitura e membros de associações, além de outros moradores e apoiadores. “Também terá um subcomitê de jovens que atuam em grêmio estudantil do colégio estadual. O comitê poderá ser ampliado conforme as demandas, sendo totalmente aberto à comunidade, que poderá participar das ações e deliberar sobre os projetos a serem desenvolvidos nessa localidade”, informou.

Foi criado um grupo de Facebook que reúne informações, vídeos, fotos, mapas e arquivos, que serão utilizados para a mobilização, formação e organização de atividades. De acordo com João das Águas, a subgerência Vani Ruiz conta com uma área de 250 mil metros quadrados, envolve 18 quarteirões e possui cerca de 460 imóveis, residenciais e comerciais, além de áreas verdes, fundos de vales, praças e canteiros.  “Trata-se de uma região com alguns exemplos inovadores como em calçadas mais largas, por exemplo, mas com situações problemáticas de resíduos irregulares, pobreza, violência, arborização e drenagem. Com a criação do comitê, já começam as ações nas ruas, nos imóveis, e em reuniões de formação com gestores e moradores”, citou.

O Londrina Mais fará levantamentos em todas as áreas que terão comitês. “Vamos utilizar a base de dados do Sistema de Informações Geográficas de Londrina (SIGLON), da prefeitura, para mapear as subgerências. Já tivemos o reforço para o projeto de um profissional da Secretaria Municipal do Ambiente, que nos ajudará a coletar imagens com drone na verificação de ruas, bueiros, calçadas, drenagem, estado e da arborização, que serão minuciosamente analisados em todas as partes”, finalizou João das Águas.

A diretora do Colégio Vani Ruiz, Cintia Bitencourt Ciccotti, disse que mobilizar e conscientizar a comunidade é o principal objetivo do comitê formado nessa região. “Sempre atuamos para buscar soluções que atendam às necessidades dos moradores. O primeiro sinal foi positivo, e quem participou ou já soube da formação do grupo demonstrou interesse em colaborar para as possíveis ações que serão feitas”, contou.

Cintia apontou que uma das finalidades é avançar na educação ambiental e resolver a questão do descarte irregular de lixo, que prejudica todo mundo, inclusive os alunos que frequentam as escolas do bairro. “Vamos fazer reuniões para divulgar ao máximo as ações e esperamos que o Londrina Mais resulte em melhorias para a cidade”, disse.

Londrina Mais –Integra o Programa Internacional Cidade Mais, gerenciado pela Patrulha das Águas, que é a mais antiga entidade de defesa ambiental da cidade, atuando desde 1991. Foi elaborado com foco no desenvolvimento sustentável em Londrina, trazendo à tona conceitos de cidade educadora, economia colaborativa e compartilhada, gestão pelas águas, educação para cidadania plena e descentralização administrativa com participação comunitária. Haverá gerências com planos, fundos e comitês que permitirão a implantação de projetos como o ‘Professor de Cidades’, por exemplo, que terão colaboradores em cada região.

O objetivo central é transformar Londrina em um município de referência em gestão compartilhada, preocupado com o desenvolvimento sustentável; com gestores públicos mais ativos e transparentes; com políticas públicas transformadoras; com o aumento na arrecadação e na geração de trabalho, emprego e renda locais; com a superação do improviso na gestão pública e o aproveitamento e potencialização do capital humano existente na cidade, tornando a gestão mais participativa, includente, solidária, inovadora, inteligente, integrada e sustentável.

Para criar o programa, os fomentadores da ideia se basearam em pesquisas acadêmicas, experiências de outros municípios e programas nacionais e internacionais de sucesso no desenvolvimento de cidades com gestão compartilhada, como o Cidades Educadoras, Cidades Sustentáveis, Cidades Empreendedoras e o Cidade Mais.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos