Cidadão

Município de Londrina permanece com três casos confirmados de coronavírus

Há 511 casos em análise, aguardando o resultado de exames de laboratório e 34 pacientes estão internados, em decorrências de síndromes respiratórias

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou os dados atualizados sobre o coronavírus na cidade. O município de Londrina ainda mantém três casos confirmados da doença, descartou 27 casos e ainda há outros 511 em andamento, aguardando o resultado de exames de laboratório. As informações foram repassadas durante entrevista coletiva, via internet, concedida na manhã desta sexta-feira (27), pelo titular da pasta, Felippe Machado.

O secretário explicou que, dos 511 casos em análise, nem todos passaram por exames de laboratório, pois o município segue os protocolos do Ministério da Saúde (MS), que indica a testagem apenas nos pacientes que estão internados nos hospitais. “Qualquer síndrome respiratória é notificada, mas nem todos os pacientes fazem o teste para o coronavírus, apenas os casos mais graves. Estes exames estão sendo concentrados no Laboratório Central do Estado (Lacen), em Curitiba”, informou.

Segundo o secretário, 34 pacientes estão internados em Londrina no momento, em decorrências de síndromes respiratórias, dos quais 24 estão em internações clínicas e sete em Unidades de Terapias Intensivas (UTIs), tanto em hospitais públicos, quanto em privados. “Não temos a confirmação, ainda, se estes casos são positivos para coronavírus, pois os exames ainda estão em análise”, contou.

Com relação ao perfil dos internados, Machado apontou que há desde uma jovem com 33 anos de idade, internada no Hospital Universitário, em UTI, com forte suspeita de coronavírus, até idosos, com mais de 60 anos. “Isso demonstra que essa doença pode atingir não apenas os idosos, como também os jovens, inclusive sem comorbidades”, frisou. Os três pacientes que atestaram positivo para coronavírus no município não necessitaram de internamento hospitalar.

Dando um panorama maior da situação, o secretário informou que as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que estão recebendo os casos suspeitos de coronavírus, estão registrando, desde o dia que abriram especificamente para esta finalidade, quarta-feira (25), cerca de 60 pessoas com síndromes respiratórias por dia. Já a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sabará, que também está atendendo exclusivamente estes casos, tem atendido aproximadamente 200 pacientes por dia, também relacionados a síndromes respiratórias.

De acordo com Machado, em 2019, Londrina registrou, de janeiro a março, 99 notificações relacionadas a síndromes gripais. Este ano, no mesmo período, o número saltou para 511, ou seja, um aumento de 400%. Com relação às Síndromes Respiratórias Agudas (SARs), ano passado, de janeiro a março, o município registrou 47 notificações, contra 75 neste ano.

“É importante lembrar que, no ano passado, apenas as unidades sentinelas, que são aquelas que fazem a vigilância epidemiológica de casos de doenças respiratórias, faziam a notificação destes casos. Este ano, por conta do coronavírus e para ter um cenário epidemiológico melhor, a notificação foi aberta para todos serviços de saúde, por isso temos mais notificações”, apontou.

O secretário esclareceu que, neste momento, o município tem exames de coronavírus suficientes para atender a rede hospitalar, para os próximos 20 dias, casos os protocolos do MS não mudem. “Todas as ações tomadas pela Prefeitura seguem um embasamento técnico e muito criterioso, de uma equipe que faz a análise diária de todo o cenário do coronavírus no mundo, estuda e propõe as medidas, com amparo da ciência”, afirmou.

Machado disse que é importante frisar que todos os lugares do mundo que tiveram que enfrentar o coronavírus, fizeram medidas de restrição. “Os países que adotaram as ações antes de iniciar a transmissão comunitária tiveram mais sucesso, os que adotaram mais tarde tiveram mais problemas e mortes, como Itália, Espanha e Estados Unidos. Todas autoridades de saúde, como Organização Mundial da Saúde (OMS), sociedades de medicina, entre outras, afirmam que a melhor maneira de evitar o crescimento descontrolado da doença é fazer o isolamento social, que também foi adotado em nosso município”, enfatizou.

Por fim, o secretário avalia que, devido às medidas de isolamento social, tomadas pelo poder público, é possível perceber que o município conseguiu achatar a curva de crescimento da doença na cidade. “Vamos avaliar esse cenário dia a dia, para tomar as medidas necessárias”, apontou.

Disque Coronavírus – A população pode tirar dúvidas relacionadas ao coronavírus, pelo 0800-400-1234, de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas. Os profissionais que estão atendendo no 0800 são técnicos da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, capacitados para dar informações sobre a doença.

Desde a última segunda-feira (23), quando a Prefeitura iniciou o serviço, foram atendidas cerca de 1.300 pessoas pelo 0800. A ligação é gratuita e pode ser feita de telefone fixo ou celular. O número foi disponibilizado pela Prefeitura de Londrina, por meio da Contact Center, como mais um meio de enfrentamento da doença em Londrina.

Para a imprensa: outras informações podem ser obtidas com o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, no 3372-9434.

Etiquetas
Mostrar mais

Dayane Albuquerque

Gestora de Comunicação - Jornalista da Prefeitura Municipal de Londrina, especialista em Comunicação Organizacional

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos