Destaques

Governo e prefeitura anunciam obras de infraestrutura para Londrina

Um dos anúncios é sobre o viaduto da PUC. O projeto, execução pela Prefeitura, está pronto e será repassado para que o governo do Estado possa se encarregar das obras

O prefeito Marcelo Belinati participou, na manhã desta sexta-feira (29), do Fórum Empresarial Infraestrutura e Logística no Paraná, promovido pela Associação Comercial e Industrial de Londrina ( ACIL).  Junto a outras autoridades estaduais, foi debatida a situação do Estado e as perspectivas para os próximos anos. Na ocasião, foram anunciados investimentos em obras estruturantes para Londrina, que irão beneficiar a população e a economia do município, com a geração de mais empregos e renda para a cidade.

Foto: assessoria da ACIL

Marcelo apresentou o projeto do viaduto da PUC, executado pela Prefeitura, para o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, para que o governo do Estado possa dar andamento nos trâmites para execução das obras. “O projeto já está pronto, faltando apenas readequações, as quais serão concluídas esta semana. Assim que tudo isso estiver pronto, vamos encaminhá-lo ao Estado, para que possamos, enfim, concretizar e dar início a uma obra tão importante como essa, que é um sonho da cidade há décadas”, disse.

O prefeito informou que a obra vai custar em torno de R$ 27 milhões, recursos do governo no Estado. “Este é um dos locais de maior movimento no trânsito da cidade. São bairros populosos, universidade, empresas, ou seja, é um grande gargalo no trânsito, que vai melhorar a mobilidade da cidade, dar mais segurança aos pedestres, ciclistas e motoristas”, afirmou.

Marcelo também falou sobre o projeto do viaduto da Avenida Leste-Oeste com a Avenida Rio Branco. Segundo ele, neste caso, as obras serão pagas pela Prefeitura e também vão custar cerca de R$ 27 milhões. “Este é o ponto de maior movimento no trânsito de Londrina, maior inclusive do que no viaduto da Rodoviária, que estamos construindo. Em horário de pico, são 20 mil veículos passando por lá, por hora. Por isso, é uma obra de extrema importância, que virá acompanhada de toda a reestruturação da Leste-Oeste, desde o Jardim Leonor, até a Rodoviária, e também no trecho das avenidas Francisco Gabriel Arruda, Winston Churchill e Rio Branco, desde a avenida Saul Elkind até a Tiradentes, ou seja, vai haver uma revitalização completa destes grandes corredores da nossa cidade, que ligam Londrina norte/centro e leste/oeste”, afirmou.

O prefeito informou ainda que o projeto já está pronto, foi aprovado pelo Ministério das Cidades, e se encontra em última análise pela Caixa Econômica Federal. “Após a sinalização da Caixa, vamos enviar o projeto para a licitação, pois a ideia é que comecemos as obras, ou pelo menos finalizemos o processo de licitação, junto com o término das obras do viaduto da Rodoviária, para termos menos problemas no trânsito. Estamos fazendo um planejamento viário, para que estas obras causem menos transtorno possível”, contou.

Com relação ao viaduto da PUC, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, informou que tão logo o governo do Estado receba o projeto da Prefeitura de Londrina, irá repassá-lo para aprovação do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná (DER), para que a obra possa ser executada. “Esta obra já está autorizada e é um compromisso do governador Carlos Massa Ratinho Junior”, destacou.

Na ocasião, o secretário falou também sobre o viaduto da Bratislava. Segundo ele, a determinação do Estado é abrir a licitação das obras ainda este ano, para que elas iniciem em 2020. “O projeto está praticamente concluído, por isso, estamos solicitando, ao DRE, a abertura da licitação ainda em 2019”, contou. Ele citou ainda que não há previsão do valor a ser investido.

Outra obra importante citada na manhã de hoje pelo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, é o viaduto da Avenida Angelina Ricci Vezozzo. Ele explicou que o projeto precisa de uma alteração, para que então se possa dar andamento nos trâmites para início da construção. “O governo do Estado tem um compromisso na execução desta obra, contudo, queremos fazer obras bem feitas, que depois não precisem de correções e aditivos, como tem acontecido ao longo de muitos anos no estado do Paraná”, explicou.

O secretário enfatizou ainda que os anúncios para Londrina representam um resgaste histórico do que precisa ser feito, em infraestrutura, na região. “Londrina é uma cidade muito importante para o Brasil, do ponto de vista de seu desenvolvimento e da geração das riquezas que ela proporciona ao Estado e ao Brasil. Contudo, sabemos que a cidade foi penalizada ao longo dos anos com uma infraestrutura que não condiz com o porte da cidade. Quando tivermos uma estrutura rodoviária melhor, vamos ter inúmeros ganhos. Por isso, estamos fazendo um encontro com a verdade, com Londrina, resgatando o que precisa ser feito aqui, em obras estruturantes, pois o governador determinou uma atenção especial à cidade”, salientou.

O representante da Comissão de Infraestrutura e Desenvolvimento, Gerson Guariente, disse que estas obras representam a indicação de que a cidade começa efetivamente a caminhar em direção de mais geração de emprego e renda. “Se não tivermos condições de acessar, com qualidade, os polos de consumo e exportação, e fazer com que as importações também aconteçam e cheguem a Londrina, não vamos gerar emprego e renda com qualidade. Todas estas ações que estão sendo feitas em conjunto com a sociedade civil e poder público, vão trazer uma transformação muito importante para cidade e região”, apontou.

O diretor jurídico dos Portos do Paraná, Marcus Freitas, contou que Londrina está no top 5, do estado do Paraná, entre os municípios que mais utilizam o Porto de Paranaguá. “Até outubro de 2019, Londrina encaminhou, para o Porto, mais de 170 mil toneladas de granéis e mais de 2.200 caminhões saíram exclusivamente da cidade de Londrina para lá. Londrina e toda a região ao entorno da cidade é extremamente importante para nossa exportação e importação”, assegurou.

Já o diretor presidente da Ferroeste, André Luiz Gonçalves, citou que um dos objetivos do Fórum é mostrar o que a Secretaria de Infraestrutura e Logística, junto com o governo do Estado do Paraná, está buscando olhar o Estado como um todo. “Neste momento estamos em fase de contratação de um estudo técnico que abrange praticamente todo o Paraná. Especificamente, vamos tratar do corredor oeste de exportação, que sai do Mato Grosso do Sul, passando por Cascavel e Guarapuava, até o Porto de Paranaguá. Além disso, o estudo das cargas e toda a demanda necessária para atender o porto passa também pela região de Londrina e pelo norte do Paraná. Este projeto tem uma visão ampla e visa resolver o gargalo logístico do Paraná e promover o desenvolvimento econômico do Estado. Nossa expectativa é que ele esteja pronto dentro de 15 meses”, adiantou.

Etiquetas
Mostrar mais

Dayane Albuquerque

Gestora de Comunicação - Jornalista Prefeitura Municipal de Londrina

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos