Destaques

Prefeitura conclui nova rede de galerias pluviais na região sul de Londrina

Com investimento de R$ 1 milhão, o sistema de drenagem na abrangência do Conjunto São Lourenço foi ampliado e modernizado para solucionar problemas crônicos de enxurradas; obra foi entregue antes do prazo

Na região sul de Londrina, os moradores do Conjunto São Lourenço, Jardim Franciscato e Jardim Novo Perobal agora podem contar com mais segurança, conforto e bem-estar nos dias e períodos de chuvas. Isto hoje está sendo possível porque a Prefeitura de Londrina concluiu, nos últimos dias, as obras de construção do novo sistema de captação e drenagem de águas pluviais que beneficiará milhares de pessoas que residem, trabalham ou visitam essa área da cidade. Este novo ramal subterrâneo resolve um problema antigo de enxurradas ocasionadas pelas chuvas, que afeta o local há décadas.

Ampliada e revitalizada, a rede de galerias já opera normalmente, após a construção de 1.500 metros de tubulações subterrâneas, entre outras estruturas e adequações, em um trajeto de quase 600 metros, descendo por áreas de declive até o Córrego Cristal. A rede de galerias começa a partir da rua Delegado Matias Sampaio, atravessando uma área de vegetação, e, depois, cruza as ruas Diógenes de Lima Bravo e Silvio Mariano da Silva, até chegar na rua José Marinho, finalizando o escoamento até este córrego.

Nova rede de galerias em fase de construção (à esquerda), e o mesmo trajeto com as obras já finalizadas e tubulações no subsolo (à direita) Foto: Carlos Eduardo Ribeiro/CMTU

Mais moderno e eficaz, este sistema traz mais qualidade de vida e tranquilidade aos bairros que antes eram afetados pela intensidade do fluxo de água que descia por essa região. Anteriormente, os moradores viviam aflitos pelos transtornos causados pelas enchentes, sendo que muitas pessoas perderam seus bens em razão do impacto que as casas sofriam.

Para realizar todas as melhorias, a Prefeitura investiu cerca de R$ 1 milhão utilizando recursos próprios. Além das tubulações subterrâneas e bocas de lobo, compostas por estruturas simples, duplas e triplas, também foram construídas outras estruturas para aprimorar a captação e escoamento de águas, incluindo uma escada hidráulica com degraus em concreto e aço, nos pontos mais íngremes.

Rua Diógenes de Lima Bravo, uma das vias por onde passa o trajeto do novo sistema de drenagem, descendo até o Córrego Cristal. Foto: Vivian Honorato

Foram implantados poços de queda, totalizando 18 peças em concreto, e sistema de dissipação hidráulica. E ainda refeitos os pavimentos de vias que precisaram ser quebrados em alguns trechos para a construção da rede de tubulações.

Realizada do zero, a construção contou com equipes e maquinários pesados, sendo que estas melhorias só foram possíveis após serviços de base como limpeza de terreno, capina, montagem do canteiro de obras, topografia e abertura das passagens de terra necessárias, passando por locais antes fechados, que permitiram a efetiva execução das tubulações, posteriormente.

O secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, visitou o local e destacou que trata-se de uma obra que não gera impacto visual, ficando mais discreta, mas sendo de extrema importância e relevância para a vida de tantas pessoas. “Nessa área, quando chovia o volume de água era assustador e invadia as casas com força, causando estragos e gerando medo. Também afetava locais importantes como a Fundação Pestalozzi e outros. É uma estrutura importantíssima para atender tantas famílias e trabalhadores. A Prefeitura investiu cerca de R$ 1 milhão para construir este novo sistema de galerias, com mais de 1.500 tubulações instaladas e já funcionando para dar conta da vazão de água”, enfatizou.

Foto: Vivian Honorato

Canhada ainda ressaltou que a obra foi entregue antes do prazo, sendo que a previsão de entrega pelo contrato era para o mês de março deste ano. “É importante dizer a obra foi muito trabalhosa mas, felizmente, acabou sendo entregue bem antes do previsto. Não é uma obra que cresce aos olhos das pessoas, como um viaduto ou uma duplicação de avenida, mas a drenagem é essencial para a qualidade de vida da população, e este tipo de infraestrutura é realizada em todos os cantos da cidade”, disse.

Foto: Vivian Honorato/Arquivo

Por sua vez, a secretária municipal de Obras e Pavimentação, em exercício, Margareth Pongelupe, apontou que o trabalho do Plano de Drenagem na secretaria é fundamental para a qualidade dos espaços urbanos de Londrina. “Este plano viabiliza projetos e execuções de várias obras em todo o município, ajudando a viabilizar iniciativas importantes principalmente para as comunidades diretamente atingidas pelos problemas decorrentes de enchentes e alagamentos”, afirmou.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos