Cidadão

Biblioteca tem programação intensa de hoje (27) a domingo (29) com o Bibliocircuito 22

A Biblioteca Pública de Londrina recebe uma programação especial de shows, palestras, exposição, cortejo e sarau antropofágico

O final de semana vai ser agitado na Biblioteca Pública de Londrina. O Bibliocircuito 22 – A Vacina Antropofágica chega com uma programação especial e totalmente gratuita, que começa nesta sexta (27) e prossegue até domingo (29). O espaço cultural vai ser ocupado durante os três dias com exposição de livros raros, oficinas, palestras, cortejo antropofágico, comilança, debates, sarau literário e shows – com artistas, pensadores e antropófagos de Londrina e de outras cidades.

O Bibliocircuito 22 é um projeto realizado pela  Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do PR, com patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), e apoio da Biblioteca Pública de Londrina 70 Anos, da Casa de Cultura da UEL e Rádio UEL FM. Com esta proposta, o projeto busca integrar ainda mais a Biblioteca à circulação artística e cultural de Londrina, a partir do mundo do livro e da leitura.

Segundo a diretora de Bibliotecas da Secretaria Municipal de Cultura, Leda Araújo, a intenção é comemorar os 70 anos da Biblioteca Pública de Londrina e os 100 anos da Semana de Arte Moderna. “A biblioteca pública tem um papel cultural fortíssimo de formação do cidadão e de transformação social. Já a Semana de Arte Moderna marcou a cultura brasileira. Foi onde se iniciou a democratização do acesso à cultura. Isso nós defendemos o tempo todo na biblioteca pública. Então, essas celebrações são fundamentais, pois são espaços onde as pessoas podem vir e ter acesso às diferentes formas de conhecimentos e de linguagens culturais”, disse Araújo.

A abertura do evento será nesta sexta-feira, às 17h30, com a exposição “Macunaíma no coração de Londrina” – acervo do professor Carlos Okawati, colecionador de obras de Mário de Andrade. Na sequência, às 19 h, acontece um Cortejo nos arredores da Biblioteca – os participantes das oficinas passeiam pelo Bosque Central, pela Concha Acústica (onde a Orquestra Sinfônica do Paraná estará se apresentando em comemoração aos seus 37 anos) e voltam para a Biblioteca, onde o grupo realiza uma ocupação artística do prédio com a performance A Cobra Antropofágica. Esta apresentação é resultado das Oficinas Práticas do Bibliocircuito 22: Artes Performativas (coordenada por Edna Aguiar e Guilherme Kirchheim) e Artes Visuais (coordenação de Alex Lima).

No sábado (28), a programação começa às 14 h, com a última atividade formativa do projeto, a Oficina Poesia em Pé, de leitura e criação literária, com a escritora Luiza Romão, de São Paulo. Poeta, atriz e slammer, ela integra a Palabreria – Coletiva que investiga o diálogo entre teatro, literatura, performance e vídeo -, e vai coordenar a oficina na Biblioteca do Centro Cultural Lupércio Luppi (região Norte), aberta a todos que produzem e curtem a poesia viva. Inscrições gratuitas: https://forms.gle/NtTxpZgJ3iGwLYCZ8 (link também disponível no Instagram do projeto: bibliocircuito.londrina).

Às 16 h, acontece a conferência “Mastigações antropofágicas: A arte de devorar o mundo em Oswald de Andrade”, um bate-papo com Rudá K. de Andrade, historiador de São Paulo, neto da escritora Patrícia Galvão (Pagu) e de Oswald de Andrade. Da Poesia Pau Brasil à Antropofagia oswaldiana, esta conferência traz reflexões sobre história, culinária e literatura. Por uma devoração crítica do mundo! Rudá também vai lançar no Bibliocircuito o livro “A arte de devorar o Mundo: aventuras gastronômicas de Oswald de Andrade”, que será vendido no local.

Sarau Antropofágico e Ritual de Comilança

“Além de ícones da Semana de 22, como Mário e Oswald, pensamos também na atualização daqueles ideais modernistas, principalmente a redescoberta de um Brasil real e profundo, por vozes que reivindicam hoje os seus lugares até então invisibilizados pela história oficial, como acontece na arte indígena, feminista e afro-brasileira”, destaca Renato Forin Junior, um dos curadores do Bibliocircuito 22.

Ainda para o sábado, às 18 h, está programado um sarau literário ao ar livre, sob o comando das escritoras Luiza Romão e Karen Debértolis e participação da DeejayFran & MisterRei, do kolletivo02 – Sound Kombi. Estarão se apresentando participantes das Oficinas de Leitura e Criação Literária, além de escritores da cidade e poetas do movimento hip hop.  Junto a tudo isso, um delicioso ritual de comilança sobre folhas de bananeiras, em que o público traz comidinhas para consumo próprio enquanto ouve poesia. Em frente à Biblioteca Pública e ao Teatro Zaqueu de Melo.

A programação se encerra no domingo (29). Às 10h30, o artista indígena, cantor e compositor Edivan Fulni-ô faz uma conferência com participação de indígenas da cidade. Nascido em Salvador (BA), Edivan vai apresentar um retrato da realidade dos povos originários, em especial os indígenas nordestinos.

À tarde, tem show na rua, em palco montado em frente à Biblioteca (em caso de chuva, a programação musical será transferida para o Cine Teatro Ouro Verde, com entrada gratuita). Às 15 h, a banda londrinense Caburé Canela apresenta o show Cabeça de Cobre, uma exploração degustativa de timbres, instigante e profundo. A banda propõe um caminho que explora eletricamente e poeticamente signos e sons. Composições de Carolina Sanches, Lucas Oliveira e Pedro José, com arranjo musical coletivo.

Em seguida, às 16 h, Edivan Fulni-ô sobe ao palco com sua banda para o show Demarcação Já! O artista indígena mergulha em vários estilos musicais, entre o pop-rock e o eletrônico, sem perder a identidade de seu povo. Edivan traz reflexões históricas e contemporâneas sobre os indígenas – a invasão das terras, o convívio em um campo de guerra, onde a luta é diária em defesa do território e da identidade. O show também terá participação de indígenas de Londrina.

Em tempo: ao longo do evento, na frente da Biblioteca, haverá feirinha de artesanato e de livros novos e usados.

Vacina Antropofágica em doses

O Bibliocircuito 22 – A Vacina Antropofágica aconteceu em doses. A primeira foi aplicada em fevereiro: o curso “Tupi or not to be”, com o escritor e doutor em Letras, Renato Forin Jr. A segunda, no mês de maio, com oficinas de criação coordenadas pela escritora Karen Debértolis, a atriz e diretora Edna Aguiar, o artista Alex Lima e a escritora e slammer Luiza Romão.

Mas os produtores do evento já estão preparando a quarta dose! Devido à Covid, o Bibliocircuito teve que adiar a participação de convidados, como o ator Pascoal da Conceição, que chegaria a Londrina nesta sexta-feira, como o próprio Mário de Andrade. Entretanto, na véspera, ele testou positivo para Covid e não pode viajar.

O Bibliocircuito 22 tem curadoria de Renato Forin Jr, da bibliotecária e professora Sueli Bortolin e do historiador Marcio Carreri, todos de Londrina. O projeto foi idealizado pelo jornalista aposentado e colaborador Luciano Bitencourt, junto a um grupo de apoiadores da Biblioteca Pública de Londrina.

Mais informações nas redes sociais do projeto https://www.facebook.com/bibliocircuito e Instagram @bibliocircuito.londrina.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos