Destaques

Saúde apresenta contas do 1º quadrimestre

Medidas de prevenção ao coronavírus e combate à dengue representaram boa parte dos esforços realizados pelo Município no início de 2020

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) apresentou, na tarde desta sexta-feira (29), os investimentos e as ações que realizou nos primeiros quatro meses de 2020 em Londrina. A prestação de contas aconteceu através de uma audiência pública via internet, transmitida pela Câmara Municipal de Londrina, seguindo as medidas de prevenção ao coronavírus.

Durantes os meses de janeiro a abril, foram investidos R$103.335.860,33 em saúde, o que equivale a 21,55% do orçamento municipal. Por lei, os municípios são obrigados a investir, no mínimo, 15% dos recursos. Segundo o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, isso demonstra a preocupação da atual gestão com a melhoria da saúde pública municipal.

O secretário destacou que a audiência pública segue a Lei complementar nº 141 de 13 de janeiro de 2012, que regulamenta o artigo 198, da Constituição Federal. A norma dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pelos entes do Poder Público nas ações e serviços de saúde, além de estabelecer os critérios para o rateio de recursos de transferências à saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas públicas. “A apresentação da prestação de contas, sobre os meses de janeiro a abril de 2020, está dividida em algumas vertentes, conforme essa Lei Complementar determina. Vamos iniciar com as ações desenvolvidas pelo gabinete e dados da Ouvidoria, e na sequência as produções da rede assistencial, indicadores assistenciais e epidemiológicos, montante e fonte dos recursos aplicados no período”, citou.

A prestação de contas foi conduzida pela diretora-geral da SMS, Rosilene Machado, que elencou as principais medidas que a Saúde desenvolveu no primeiro quadrimestre, como o trabalho preventivo e de enfrentamento contra o coronavírus, combate à dengue, reformas, ampliação e construção de Unidades Básicas de Saúde, campanhas de vacinação, segunda etapa do mutirão de próteses dentárias, entre outras ações.

Coronavírus – A Secretaria Municipal de Saúde se antecipou em diversas ações contra a pandemia causada pelo novo coronavírus. As primeiras decisões tomadas, no início de março, foram a criação de um Plano de Contingenciamento; aquisições de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos profissionais de saúde em geral; e a instituição do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (Coesp). “Algumas dessas medidas iniciamos no final do mês de fevereiro, de forma preventiva e antecipada, já que o primeiro caso confirmado de coronavírus, em Londrina, foi registrado em 2 de março”, informou a diretora-geral.

Na sequência, a SMS contratou emergencialmente mais 500 profissionais da saúde; deu capacitação para os funcionários visando o atendimento específico para a Covid-19; criou o Disque-Coronavírus em parceria com a Universidade Estadual de Londrina (UEL); iniciou o isolamento social (no dia 20 de março); criou, com o auxílio do Núcleo de Comunicação da Prefeitura, um portal reunindo informações sobre o coronavírus e onde buscar ajuda; disponibilizou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará para atendimento exclusivo aos doentes respiratórios e casos suspeitos de Covid-19; investiu recursos na ampliação leitos no Hospital Universitário de Londrina (HU) ; selecionou seis Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para serem referência no atendimento preliminar aos casos respiratórios e suspeitos da nova doença; tornou obrigatório o uso de máscaras para a circulação de pessoas no dia 9 de abril, entre outras ações necessárias.

Dengue – Desde o início de 2020, a Secretaria de Saúde tem realizado diversas atividades educativas, de inspeção e de atendimento em saúde para tentar combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti em Londrina. Isso porque, o primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Mosquito (LIRAa) apontou que a cada 100 imóveis da cidade, 7,7 estavam com larvas do mosquito transmissor da dengue.

Entre as ações foi lançada a campanha educativa “Londrina Unida contra a Dengue”; ampliado o horário de atendimento das UBS Vila Ricardo (das 19h às 23h) e da Vila Casoni (7h às 19h); montou-se uma equipe exclusiva para o atendimento no Disque-Dengue que recebe as denúncias da população; com a ajuda da CMTU realizou quase 20 mutirões de limpeza pelos bairros da cidade; realizou o teste seletivo para contratar os agentes municipais de endemias; e montou um ponto de atendimento exclusivo para pessoas com sintomas de dengue na sede do CCI Norte, o Centro Especializado de Atendimento à Dengue, com capacidade de atendimento de até 400 pessoas por dia, funcionando das 7 da manhã até 1 hora da madrugada.

Vacinação – Outra ação intensificada foi a vacinação. Nove mil idosos receberam as doses preventivas da gripe através de um sistema drive-thru. Pessoas na faixa etária de 5 a 59 anos também puderam procurar as UBSs para imunização contra o sarampo.

Obras – O prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Saúde também assinaram 10 ordens de serviço para a realização de obras nas UBS do Marabá, Eldorado, Campos Verdes, Cabo Frio, Jamile Dequech, Vila Brasil, Patrimônio Regina, Santiago, Vivi Xavier e Leonor. A construção da UBS da Vila Fraternidade também foi autorizada pelo prefeito, em janeiro.

Mutirão de próteses – Foram realizadas a segunda e a terceira etapas do mutirão de próteses dentárias. A segunda fase atendeu cerca de 150 pessoas no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) e distribuiu 250 equipamentos odontológicos e materiais aos dentistas e auxiliares de odontologia. Na terceira etapa, 50 próteses foram entregues ajudando a aumentar a autoestima dos pacientes.

Castramóvel – A Prefeitura de Londrina também deu início, em março, ao Castramóvel: Programa Municipal de Controle Populacional de Cães e Gatos. Em um trailer personalizado há estrutura e profissionais para a realização de esterilização de machos e fêmeas, chipagem e a vacinação dos Pets. Os beneficiários diretos e indiretos desse programa municipal são as famílias em situação de vulnerabilidade social, acumuladores de animais, protetores voluntários e Organizações Não Governamentais.

Policlínica – Em março, a Prefeitura de Londrina inaugurou a nova sede da Policlínica Municipal Ana Ito, que fica na Rua Brasil, 1.032 e atende de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas. Entre as melhorias estão: climatização do ambiente com aparelhos de ar-condicionado, ampliação para 15 consultórios (pequenas cirurgias, eletrocardiograma e especialidades), sala de espera mais ampla e com classificação de atendimentos.

Estrutura física – Atualmente, a Autarquia de Saúde de Londrina oferta atendimento em 53 UBSs, sendo 41 delas na área urbana e 12 na zona rural. Tem 69 equipes de Saúde da Família, sendo 16 na região norte, 14 na oeste, 11 na sul, 10 na leste e 10 no centro, além de outras oito na rural. Na área de odontologia há 27 equipes de saúde bucal, 41 de atenção primária em saúde e uma clínica especializada que é o CEO. De janeiro a abril foram realizadas mais de 14 mil consultas odontológicas e quase 89 mil procedimentos. Somente no CEO, em quatro meses, foram feitos 1.235 atendimentos e quase 4 mil procedimentos.

Além disso, de acordo com a Diretoria de Atenção Primária em Saúde, foram realizadas mais de 72 mil consultas agendadas para cuidados continuados e de urgência pelos profissionais de saúde de nível superior, exceto pelos dentistas (que foram apresentados acima).

O Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF) atendeu 4.738 pacientes e a equipe do consultório de rua realizou 2.076 atendimentos. Desses, 1.932 foram atendimentos adultos, sendo 71 de saúde da mulher, cinco em crianças e 68 para saúde mental.

A Diretoria de Urgência e Emergência registrou também 170 mil consultas nos pontos de atendimento de 16 e 24 horas. Destas, 10.561 foram no Centro especializado em Dengue (CEAD), 44.267 foram atendimentos de plantonistas na UPA Centro Oeste; 37.713 na UPA Sabará, no PAI foram 23.146, no Pronto Atendimento do União da Vitória foram 16.604 e 16.456 Pronto Atendimento do Maria Cecília, entre outras.

Texto: Ana Paula Hedler e Juliana Gonçalves

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos