CoronavirusDestaques

Campanha de vacinação contra Covid-19 completa um ano em Londrina

Em 19 de janeiro de 2021, a cidade recebeu o primeiro lote com nove mil doses; desde então, mais de um milhão de doses foram aplicadas

Londrina comemora, na quarta-feira (19), um ano da campanha de vacinação contra a Covid-19, data que marca o início da maior ação de enfrentamento à pandemia. Com a chegada das primeiras nove mil doses, em 2021, a campanha iniciou pelos grupos prioritários de profissionais de saúde, idosos em instituições de Longa Permanência e trabalhadores destas instituições. Hoje, está disponível para toda população, e a cidade já aplicou 1.016.013 doses.

Foto: Vivian Honorato/Arquivo

O primeiro lote de vacinas que chegou a Londrina foi distribuído e levado a esses grupos prioritários por equipes volantes da Secretaria Municipal de Saúde. Depois, a campanha foi reforçada com a chegada de mais imunizantes, e passou a atender também trabalhadores dos serviços de saúde e os idosos, por estes serem mais suscetíveis ao vírus e suas complicações.

Para o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, a abertura da campanha de vacinação é uma data a ser celebrada e que ficará marcada na história da cidade. “Quis o destino que ela viesse justamente no meio de uma grande explosão do número de casos de Covid-19. Creio que, talvez, com o objetivo de reforçar a importância da vacina, nesse momento em que temos os maiores números de casos positivos na pandemia e, por outro lado, os menores números de interações ou óbitos por complicações do coronavírus”, citou.

A primeira servidora municipal a ser vacinada contra o Covid-19 em Londrina foi a técnica de Enfermagem Rosimeire Oliveira de Paula, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará. Desde o início da pandemia, ela atua na unidade que é referência de urgência e emergência para pacientes com sintomas respiratórios.

Foto: Emerson Dias/Arquivo

Um ano depois, com o esquema completo e dose de reforço, a servidora municipal há 30 anos apela para que todos os londrinenses recebam a sua dose. “A vacina continua sendo muito importante, senão o que seria agora com tantas pessoas com Covid-19. A UPA está lotada e a maior parte dos testes são positivos. Mas a doença agora não está com tanta força, devido a vacina. Sem ela, seria o caos. Então continuo orientando as pessoas a tomarem vacina”, frisou.

Ao longo das semanas, conforme as doses eram adquiridas pelo Ministério da Saúde e entregues ao Município pelo governo do Estado, os grupos de vacinados foram ampliando gradativamente. Após uma ação em drive-thru no Parque de Exposições Ney Braga, que atendeu em um único dia 3.763 idosos e profissionais de saúde, a Prefeitura de Londrina iniciou a abertura das salas exclusivas de vacinação, que chegaram a sete unidades simultâneas.

Foto: Vivian Honorato/Arquivo

A maior delas é o Centro de Imunização da Zona Norte, sediado no prédio do CCI Norte, junto com Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que foram convertidas em atendimento exclusivo para a campanha. O cadastramento do público-alvo e o agendamento dessas aplicações é feito com antecedência de forma virtual, por meio de uma página exclusiva no Portal da Prefeitura.

O agendamento prévio continua em vigor, pois não só elimina o risco de não atendimento, comum em outros municípios por conta da escassez de doses, como também garante a rapidez nos locais de vacinação e evita aglomerações.

O secretário municipal de Saúde destacou o empenho das equipes que atuaram e permanecem conduzindo os atendimentos nas salas de vacinação, bem como o recebimento e conferência dos novos lotes de imunizantes, conferência dos cadastros prévios e demais serviços necessários para o sucesso da campanha. “Temos que nos orgulhar, porque nenhum município se organizou tanto como Londrina para atender sua população de forma acolhedora, organizada e segura, com hora marcada, sem que ninguém ficasse sem receber sua vacina, sem ninguém ir ao posto de saúde de madrugada na incerteza de que teria ou não o acesso à sua dose, e sem privilégios de quem quer que seja, seguindo rigorosamente o Plano Nacional de Imunização”, detalhou.

Foto: Divulgação

Com o passar dos meses, novos imunizantes foram adquiridos e a Prefeitura de Londrina se preparou para recebê-los. Os servidores envolvidos na campanha passaram por treinamento e capacitações, e foram adquiridas câmaras frias e caixas térmicas para o transporte e armazenamento das vacinas na temperatura adequada, bem como os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Além das pessoas com doenças crônicas e comorbidades, a campanha foi sendo ampliada ao público em geral, por idade e de forma decrescente. Para incentivar a adesão, a Saúde realizou eventos de vacinação ininterrupta aos finais de semana, como a Revoada e a Balada da Vacina. As edições atingiram milhares de jovens e adolescentes que receberam sua primeira ou segunda dose.

Essas e outras ações, coordenadas pela Secretaria Municipal de Saúde, tiveram apoio e participação de diferentes secretarias e órgãos municipais. A Secretaria Municipal do Idoso promoveu a busca ativa de idosos para que agendassem a segunda dose ou o reforço, além de ceder o espaço do CCI Norte para o Centro de Imunização.

A Diretoria de Tecnologia da Informação, da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, atuou na elaboração da plataforma virtual utilizada para os cadastros prévios e agendamentos. Nas escolas municipais, a população pôde obter apoio para os cadastros on-line, imprimir o QR Code que comprovasse o agendamento, e entregar documentos que comprovassem seu grupo prioritário. A campanha teve ainda participação da Guarda Municipal e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Foto: Vivian Honorato

E na última segunda-feira (17), começou oficialmente em Londrina a vacinação de crianças a partir dos cinco anos. Inicialmente, conforme as doses pediátricas estão sendo encaminhadas, a vacinação está atendendo as que possuem deficiências permanentes ou comorbidades para, em seguida, atingirem todas as crianças desta faixa etária.

Doze meses após a aplicação da primeira dose, a cidade comemora os resultados mas reforça a necessidade de que todos completem sua vacinação. O último boletim com a situação da Covid-19 apontou 1.933 casos ativos, com 25 pacientes internados, sendo 12 em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Nos últimos quinze dias, duas mortes foram provocadas pela doença.

A situação contrasta com o cenário epidemiológico de 2021, como aponta o boletim de 19 de janeiro do ano passado. À época, Londrina registrava 495 casos ativos da doença, 115 pacientes internados – 42 em UTI, e mais cinco óbitos por Covid-19.

Foto: Vivian Honorato/Arquivo

Os dados reforçam a importância e a necessidade da vacinação, já que os imunizantes não só diminuem as chances de transmissão, mas também reduzem consideravelmente o risco de um paciente com Covid-19 evoluir com complicações ou ir a óbito. “Faço um apelo a toda população que, porventura, ainda não aderiu à vacinação ou não completou seu esquema vacinal, seja de segunda ou terceira dose, para que nos ajude. Só vamos conseguir retornar as atividades como em 2019 quando vacinarmos e protegermos de forma correta toda população. E isso depende de um aumento de pessoas vacinadas”, destacou o secretário de Saúde, Felippe Machado.

Atualmente, a Prefeitura disponibiliza cinco salas de vacinação exclusivas. Além do Centro de Imunização na Zona Norte, os agendamentos podem ser feitos para as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Jardim do Sol, Alvorada, Ouro Branco e Eldorado. A página para efetuar o cadastro prévio e agendamento está disponível para acesso todos os dias, no Portal da Prefeitura.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Compartilhamentos